quinta-feira, 22 de junho de 2017

Simão Sabrosa: «Fernando Santos é como um pai»

*Alamy Stock Photo

Simão Sabrosa garante que lhe bastou uma época no Benfica para ter uma relação especial com o agora selecionador nacional Fernando Santos.

"Trabalhei com Fernando Santos um ano no Benfica, mas foi o suficiente para ficarmos amigos, para termos uma relação muito boa. É como se fosse um pai para mim. Cristiano Ronaldo? É o melhor do mundo, continua a fazer muitos golos, a bater recordes, mas não nos podemos esquecer também dos outros 22 jogadores que são importantes, nos seus clubes e no nosso país, e que ajudam o Cristiano a chegar a esses êxitos", afirmou esta quarta-feira o antigo internacional português que está em Moscovo para assistir ao jogo entre Portugal e Rússia.

In: Record

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Simão Sabrosa: «Quando entra em campo, Cristiano coloca a capa de super-herói»


Simão Sabrosa está em Moscovo para assistir ao jogo desta quarta-feira entre Portugal e Rússia e falou sobre o momento atual de CR7 e da forma como está a gerir a polémica à sua volta.

"Quando [Ronaldo] entra e campo não se lembra do que está à sua volta. Ele vai a estádios onde é assobiado e não se deixa afetar, faz sempre dois ou três jogos. Está habituado a este tipo de situações, é muito forte psicologicamente e quando entra em campo veste aquela capa de super herói", afirmou o antigo internacional.

«Moutinho é um exemplo»

Simão Sabrosa falou igualmente do facto de Moutinho poder fazer hoje a 100.º internacionalização.
 "Continua a ser um jovem. O João jogou comigo na seleção, é um exemplo, e fico feliz por ele chegar a esse número, nem todos conseguem. Teve uma época fantástica no Mónaco, dou-lhe os parabéns. Que continue por muitos mais anos", concluiu.

In: Record

domingo, 18 de junho de 2017

Simão Sabrosa celebra aniversário do seu "pirata" mais novo

 
Simão, filho do ex-futebolista e de Vanessa Rebelo, comemorou três anos este sábado, 17 de Junho. E teve uma festa a preceito, com um tema de piratas.

Aliás, foi com uma mensagem dedicada ao seu "pirata" que Simão Sabrosa festejou o aniversário do seu 'caçula'.
"Hoje o meu baby SSS faz 3 aninhos, és único e maravilhoso , amo-te meu pirata/índio. Obrigado Mami @vavarebelo and Love u, o nosso filho é lindoooooooo, especial e único!!", escreveu o atual comentador desportivo.

Já Vanessa Rebelo, além de ter organizado a festa como qualquer mãe babada, também pôs em prática os seus conhecimentos profissionais como decoradora.

"Quando construímos o amor certo ou pelo menos quando fazemos tudo com amor, tudo resulta" Para ti meu Baby SSS aqui está... #papásqueteamam", dedicou ao filho, a quem costuma chamar - assim como ao outro filho, Rodrigo - de "índio".

In: MoveNotícias

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Simão Sabrosa marca em jogo solidário


O Estádio Nacional Vasil Levski, em Sófia (Bulgária), recebeu mais um jogo solidário, desta vez com uma equipa de estrelas liderada por Luís Figo a defrontar outra capitaneada pelo anfitrião Dimitar Berbatov. 

O resultado foi um empate (3-3), com vários antigos craques a mostrarem o que ainda sabem fazer nos relvados. 

Simão Sabrosa, ex-capitão do Benfica, marcou um golo, David Trezeguet e Robbie Keane bisaram, e o Marchena fez um autogolo, numa partida em que participaram ainda Dimas, Luís Boa Morte, Balakov, Stoichkov, Robert Pires, David James, Ryan Giggs ou Míchel Salgado.

In: Record

terça-feira, 13 de junho de 2017

Simão Sabrosa participa na 3ª Edição do Torneio João Pereira & Amigos


Decorreu este domingo, no Complexo Desportivo de Martim, em Barcelos, a 3.ª edição do torneio João Pereira e amigos.

O torneio contou com as presenças de André Martins, Josué, Castro, Orlando Sá, Simão Sabrosa, Marco Caneira e João Coimbra, além, naturalmente, do padrinho João Pereira. Ukra também fez questão de estar presente, mas não jogou.
Os lucros do evento revertem a favor de uma instituição de solidariedade. 

In: A bola

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Simão Sabrosa: «Benfica não pode adormecer»


Simão Sabrosa acredita que a vantagem de três pontos do Benfica "é confortável", mas sublinha que, a três jogos do término do campeonato, o título ainda não está entregue.

"O Benfica não pode adormecer. Nesta altura há muito mais ansiedade, é a reta final do campeonato, não pode haver nenhum percalço e a equipa tem que estar super concentrada", começou por dizer o antigo capitão dos encarnados, de visita ao Millennium Estoril Open, considerando que esta jornada será muito importante nas contas do título.

"Acredito que este fim-de-semana poderá começar a ficar mais definido quem será o campeão. São duas deslocações difíceis para os dois candidatos", frisou o ex-internacional português, lembrando a temporada 2004/05, onde foi campeão nacional pelas águias… no Bessa, palco onde os encarnados fecham o campeonato, frente ao Boavista. "Desta vez não vou lá estar para bater o penálti", atirou, entre risos, admitindo: "Seria bonito o Benfica ser uma vez mais campeão no Bessa, onde já foi na minha época."

In: Record

sábado, 29 de abril de 2017

Simão Sabrosa marca no 'Clássico das Lendas' entre Barcelona e Real Madrid


O ex-futebolista português Simão Sabrosa, antigo jogador do Barcelona, marcou um dos golos da vitória do emblema catalão no 'Clássico das Lendas' com o Real Madrid, disputado na sexta-feira no estádio Camille Chamoun, em Beirute.

No jogo que reuniu antigos jogadores dos dois maiores clubes de Espanha, o francês Giuly inaugurou o marcador para o Barça, logo aos seis minutos, mas o Real Madrid empatou aos 28, por intermédio de Fernando.
Simão Sabrosa, aos 38', recolocou os catalães em vantagem e levou o Barcelona para o intervalo a vencer este 'clássico' por 2-1.

Na segunda parte, Giuly 'bisou', aos 61 minutos, e colocou o Barça a vencer por 3-1, vantagem que as antigas estrelas do Real Madrid conseguiram apenas reduzir, a 11 minutos dos 90, com um golo de Javi Guerrero.
 
In: Record

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Filha de Simão Sabrosa cresceu (e está linda)


A filha mais velha de Simão Sabrosa é um fenómeno nas redes sociais. Para além de ser conhecida por ser filha do ex-internacional português, Mariana também chama a atenção por se ter tornado numa adolescente bem bonita.

Aos 16 anos são várias as fotografias que a jovem partilha nas redes sociais e que fazem com que conte com milhares de seguidores. A beleza da filha de Simão e Filipa Valente é mais do que evidente.

In: Vip

domingo, 2 de abril de 2017

Simão: «Tinha vontade de entrar e ajudar»


Entre os milhares de espectadores que assistiram ao clássico desta noite no Estádio da Luz esteve Simão Sabrosa, e o antigo capitão do Benfica não escondeu que viveu o encontro com alguma ansiedade. "Tinha vontade de entrar e ajudar", admitiu o ex-internacional português, de 37 anos, em declarações à BTV.

Sobre o encontro, Simão não tem dúvidas. "O Benfica foi superior, teve mais oportunidades, teve 25 minutos fantásticos na primeira parte, e cinco minutos em que tremeu mas reentrou no jogo. Não era o resultado esperado, queríamos a vitória mas o empate não está mal", frisou.

"Fizeram tudo, foram incansáveis. Foi um bom jogo de futebol. Faltou aquele golo da vitória", concluiu.

In: Record

terça-feira, 28 de março de 2017

Simão Sabrosa entrevista Andrés Iniesta

*Record

Iniesta acredita que a equipa das quinas pode fazer um brilharete no Campeonato do Mundo. "Vai ser muito difícil [para Portugal e Espanha], é certo! Portugal acaba de vencer o Europeu e claro que pode ganhar o próximo Mundial, por que não? Tem uma grandíssima equipa! Espanha vem de algumas decepções, como a do Mundial do Brasil e a do Europeu de França, mas voltará a ter a ilusão de competir e conseguir mais coisas positivas. Continua a ter jogadores muito bons, mas não será fácil!", explica o médio do Barcelona na entrevista a Simão Sabrosa.

O futebolista português é sinónimo de dificuldades para Iniesta. "Não gosto de enfrentá-los, sobretudo ao serviço das seleções. São sempre jogos muito difíceis! Apresentam muitíssima qualidade, tenho um grande respeito por eles", afirma Andrés, enumerando alguns dos ossos duros de roer: "Se há algum que não goste particularmente de defrontar devido à dificuldade a isso inerente? Normalmente, alguns dos que encontrava no centro do terreno, o Miguel, o Moutinho. Sempre tiveram muita qualidade. Não sei se Rui Costa atuou naquela eliminatória do Barcelona com o Benfica em 2005/06 [defrontou-o duas vezes quando o português estava no Milan]. Não? Enfrentei-te a ti, a Figo acho que não [jogou contra o luso quando este estava no Real]. É sempre muito difícil! E Cristiano? A Cristiano enfrentei muitíssimas vezes, mais no Real do que na seleção. Está há muito tempo em Espanha e cruzámo-nos bastantes vezes em várias provas. É sempre importante jogar contra os grandes jogadores. Quando os superas é uma alegria!"

Influência de Guardiola
Pep tem um grande papel na evolução de Iniesta, mas este prefere repartir... o bem pelas aldeias. "Se é o treinador mais importante que tive? Não gosto de utilizar a palavra ‘importante’, pois dou muito valor a todos os treinadores que tive. Por que tem ele de ser mais importante do que Van Gaal, que fez com que me estreasse? Ou do que Rijkaard ou Luis Enrique? Essa não é a palavra! Posso é dizer que aprendi e cresci como nunca na época em que lá estavam Pep e Tito. Isso deve-se à confiança total que Guardiola tinha em mim e eu nele! Idolatrava-o como jogador, a ele e a Laudrup, sendo uma grande motivação tê-lo como treinador. Talvez não tivesse essa total cumplicidade nas etapas anteriores, ou seja, com Van Gaal e Rijkaard. Também a tenho agora com Luis Enrique", frisa o espanhol, querendo acreditar que a premonição de Pep [o técnico do Man. City defende que Iniesta nasceu para jogar sempre no Barça] se irá concretizar: "Hoje em dia não me passa outra coisa pela cabeça. Sempre desejei estar aqui, espero que seja assim."

A conversa toca variados temas. O do sacrifício feito pelo pai de Iniesta, José Antonio, para lhe comprar as melhores botas que havia no mercado, por exemplo. "Tenho-as guardadas! Ele poupou dinheiro [durante três meses] para me ver com elas!", diz Iniesta, já não se lembrando por que atua com o nº 8 nas costas. Ou o da complicada decisão de trocar o querido Albacete pelo Barcelona. "Foi talvez a decisão mais difícil que tomei até hoje! Havia a parte sentimental e humana que me fazia recear dar o passo. Como o comboio só passa uma vez, tinha de subir para a carruagem. A decisão foi 70 por cento do meu pai e 30 por cento minha. Uma vez chegado a La Masia, o meu pai ter-me-ia levado de volta para casa nesse mesmo dia, se não fosse a minha mãe. Ele não conseguiu suportar a ‘crueldade’ de ver o filho ficar sozinho tão longe de casa. Portanto, a decisão foi 50 por cento de cada um dos meus pais", vinca Iniesta, acrescentando: "Estreei-me na equipa principal em Bruxelas, a contar para a Champions. Já estávamos apurados e Van Gaal deu-me uma oportunidade. Subi ao plantel principal pela primeira vez tinha 16 anos. Chegava o mês de junho e era como um exame na escola ou universidade. Esperava pelas notas para ver se tinha passado..."

A choradeira no final das férias de verão também faz parte da vida de Iniesta, um homem que não se considera melhor nem pior do que qualquer outro. "Na véspera de voltar a Barcelona, chorava muito. Se já custava regressar após dois dias de folga, imagina depois de um mês! Mas queria triunfar no Barça, custasse o que custasse!", diz o médio, desmistificando a história de ter sido adepto do Real: "Era do Albacete e do Barça! Houve um ano, tinha eu 10 ou 11, que o Albacete foi ao campo do Barça e ‘levou 7’. Então pensei! ‘O Barça não pode dar sete à minha equipa! Já não sou do Barça!’ Durou pouco essa decisão..."

De Paris à Bola de Ouro
Marcada na memória do médio está a frustração sentida por não ter sido titular na final da Champions 2005/06, em Paris [entrou na 2ª parte, a tempo de ajudar a equipa a operar a reviravolta e derrotar o Arsenal, por 2-1]. "Foi duro ficar fora do onze. Entrei após o intervalo e felizmente vencemos!", assinala Iniesta, desvalorizando o facto de nunca ter conquistado a Bola de Ouro [Simão ofereceu-lhe uma em nome da Sport TV]: "Nunca encarei isso como uma derrota!"

Afinal quem é Andrés? Um atleta que, garante, jamais deixará de aprender coisas novas no relvado. "A bola tratou-me sempre muito bem e eu tentei tratá-la sempre muito bem!" Ora, nem mais...

André Gomes está no clube certo
André Gomes tem uma profunda admiração por Iniesta e este considera que o português reúne condições para se impor no Barcelona. "Tem qualidades muitíssimo boas para continuar a crescer e ser um jogador importante num clube importante. É necessário criar o cenário e o clima perfeitos para que os jovens que vêm de fora se sintam bem e consigam evoluir. É isso que tentamos fazer no Barcelona! Penso que André está no lugar ideal para continuar a crescer", refere o espanhol, explicando a forte relação de amizade com Valdés: "Passámos quase toda a carreira juntos e sempre tivemos um vínculo forte desde o primeiro dia. Vivemos coisas boas e menos boas. Quem sabe se não foi por sermos diferentes que nos aproximámos? A verdade é que até temos semelhanças na forma de pensar ..."

Benfica apadrinha a estreia no Barça
O Benfica fica para sempre na memória de Iniesta por ter sido o primeiro adversário que defrontou com a camisola do Barcelona. Estávamos em 1996 e ele tinha 12 anos! "Recordo-me bem desse torneio, pois foi o primeiro. Decorreu em Madrid no mês de dezembro. Era um torneio internacional e a primeira partida foi contra o Benfica. Ganhámos 2-0 e fiz os dois golos", conta Iniesta, que se reencontraria com as águias em 2006, já como sénior, na Luz, a contar para os quartos-de-final da Liga dos Campeões: "Foi incrível! Joguei como pivot. Empatámos a zero! É das recordações mais bonitas que tenho..."

Pitadas de Messi, Neymar e Falcão
Simão Sabrosa convida Iniesta a construir uma espécie de superjogador e o internacional espanhol, de 32 anos, acaba por elaborar um futebolista composto essencialmente por atributos de companheiros com quem atuou no Barcelona. Perfeitamente normal! O pé esquerdo seria o de Messi, enquanto a Neymar iria ‘roubar’ o pé direito. A capacidade de liderança (de capitanear uma equipa) iria buscá-la a Puyol, o qual também emprestaria a sua raça à equipa. Xavi doaria a visão de jogo, enquanto a arte de bem jogar de cabeça seria ‘sacada’ a Falcão. Que espantoso seria ver semelhante jogador em campo!

Negócio do vinho corre sobre rodas
Natural de Fuentealbilla, pequeno povoado na província de Albacete, Iniesta dedica-se também à produção de vinho. "É uma tradição familiar, vem do meu pai e dos meus avós. A maioria das pessoas da minha terra tem vinha. Produzimos vários vinhos, dois deles com o nome dos meus filhos, Paulo Andre (tinto) e Valeria (branco). Temos várias lojas e exportamos 65 por cento do que produzimos para a China, o Japão e a Europa", conta o médio.

In: Record